badge
Google

.100STRESS

HTTP://100STRESSHOME.BLOGS.SAPO.PT
Segunda-feira, 25 de Fevereiro de 2008

Menopausa

Origem da imagem ao clicarA menopausa é o momento na vida da mulher em que termina a função cíclica dos ovários e a menstruação.

A menopausa começa no final da última menstruação. No entanto, esse facto só é comprovado mais tarde, quando não há fluxo menstrual durante, pelo menos, 12 meses. A idade média em que a menopausa começa é por volta dos 50 anos, mas a menopausa também aparece normalmente em mulheres com apenas 40 anos. Os ciclos menstruais regulares podem continuar até à menopausa, mas em geral as últimas menstruações têm uma duração e uma quantidade de fluxo variável. Progressivamente, cada vez menos ciclos são acompanhados da libertação de um óvulo.

Com o passar do tempo, os ovários respondem cada vez menos à estimulação provocada pela hormona luteinizante e pela hormona foliculoestimulante, segregada pela hipófise e em consequência, os ovários segregam, progressivamente, menos quantidade de estrogénios e de progesterona e a libertação de óvulos (ovulação), finalmente, pára.

A menopausa prematura é a que acontece antes dos 40 anos. Entre as suas causas destacam-se uma predisposição genética e doenças auto-imunes, nas quais se criam anticorpos que podem lesar várias glândulas, entre elas os ovários. O hábito de fumar também é associado à menopausa prematura.

A menopausa artificial deriva de uma intervenção médica que reduz ou interrompe a secreção hormonal dos ovários. Estas intervenções incluem a cirurgia, para extrair os ovários ou para reduzir a quantidade de sangue que recebem, e a quimioterapia ou a radioterapia sobre a pélvis (incluindo os ovários), para tratar o cancro. A intervenção cirúrgica em que se extrai o útero (histerectomia) tem como consequência a suspensão da menstruação, mas não afecta a quantidade de hormonas desde que os ovários continuem intactos e, portanto, não provoca menopausa.


Quinta-feira, 7 de Fevereiro de 2008

Dar Sangue

Porquê dar sangue?

‘Como é do seu conhecimento, o sangue não se fabrica artificialmente e só o Ser Humano o pode doar. Como tal, o sangue existente nos serviços de sangue dos hospitais depende diariamente de todos que decidem dar sangue, de forma benévola e regular, partilhando um pouco da sua saúde com quem a perdeu.

Todos os dias existem doentes com anemia, doentes que vão ser submetidos a cirurgias, doentes acidentados com hemorragias, doentes oncológicos que fazem tratamento com quimioterapia, doentes transplantados e muitos outros que necessitam de fazer tratamento com componentes sanguíneos.

Enquanto que um doente com anemia pode necessitar de 1 ou 2 unidades de sangue, um doente com transplante de fígado ou um doente com leucemia pode necessitar de um número bastante elevado de componentes sanguíneos.’

 

Como tornar-me dador?Origem da imagem ao clicar

‘Para ser dador basta dirigir-se a qualquer Centro Regional de Sangue ou Hospital com serviço de colheita e candidatar-se à dádiva.

Relembramos que para ser dador de sangue, basta ter 18 anos, pesar pelo menos 50 quilos e ter hábitos de vida saudáveis.

No local irá ser avaliado por um médico que lhe dirá se pode dar sangue ou se a sua dádiva será adiada por mais algum tempo. Vai ver que não custa nada e vai estar a ajudar os muitos doentes que diariamente precisam de sangue!’

 

Onde posso dar?

‘Pode dar sangue nos Centros Regionais de Sangue do Instituto Português do Sangue,IP, em Lisboa, Porto e Coimbra.


O horário de atendimento de dadores no posto fixo de cada Centro Regional de Sangue é:

- Lisboa, de segunda a sábado, das 8h00 às 19h30.

- Coimbra, se segunda a sexta-feira, das 8h00 às 20h00; sábado, das 8h00 às 13h00.

- Porto, de segunda a sexta-feira, das 8h30 às 19h30h; sábado, das 8h30 às 13h00.

 

Também tem à sua disposição uma Unidade Móvel que se fixa em pontos estratégicos da cidade de Lisboa durante um período de dois meses.

Locais de permanência da Unidade Móvel para dádivas de sangue em 2008.

 

Existem vários Serviços de Imunohemoterapia Hospitalares com colheita a dadores.

Por fim, os Centros Regionais efectuam sessões móveis de colheita de sangue no seu local de trabalho ou na sua área de residência.

 

Saiba como pode colaborar connosco e organizar uma sessão de colheita de sangue.’

 

Instituto Português do Sangue

Apontamentos: ,

As reservas de sangue dos tipos A e 0 positivo estão abaixo do desejável

As reservas de sangue dos tipos A e 0 positivo "estão abaixo do desejável, mas não há razão para alarmismo", considerou hoje o presidente do Instituto Português do Sangue, que entende, no entanto, que a situação deve servir como apelo a mais doações.

Em declarações à Agência Lusa, Gabriel Olim explicou que há uma reserva de três dias nos grupos A e 0 positivo para a satisfação do fornecimento das necessidades diárias dos hospitais, adiantando que o "confortável seria uma reserva de sete dias".

Na última monitorização feita pelo Instituto Português de Sangue (IPS) às reservas da "esmagadora maioria dos hospitais", por volta das 12h00 de hoje, não havia registo de qualquer falta de sangue ou qualquer doente em perigo.

"A situação está permanentemente a ser controlada, gostaríamos de ter mais reservas, mas não há necessidade para qualquer alarme", sublinhou.

"Numa situação catastrófica, as reservas deveriam esgotar-se num dia, porque, mesmo com uma adesão maciça de voluntários, haveria dificuldades ao nível do processo de colheitas e devido aos prazos referentes aos resultados das análises. Mas actualmente não há razão para dramatismos", disse.

O responsável explicou que, depois dos períodos festivos e de encerramentos de empresas para balanços, "esta não é a altura mais propícia para recolhas de sangue".

Também o combate às listas de espera de cirurgias, que "aumentam o consumo de sangue", e as constipações e gripes sazonais, que fazem as pessoas ficar em casa, contribuem para uma diminuição das reservas, acrescentou. Idealmente deveriam ser recolhidas mil doações diárias.

O IPS é responsável pela gestão de 60 por cento do sangue em Portugal, mas acaba por ter de fornecer 80 por cento das necessidades, porque os 26 hospitais que fazem as recolhas estão abaixo dos níveis satisfatórios, informou Gabriel Olim.

As previsões destes estabelecimentos indicam um défice para este ano entre colheita e consumo, que terá de ser colmatado pelo próprio instituto. Espera-se uma recolha de 168,340 unidades de sangue contra o uso de 196,710.

"Também não podemos responder quando os hospitais solicitam 100 sacos. O IPS tem que gerir os consumos e as exigências de cada hospital e mediante se tem ou não bancos de emergência", sublinhou.

No total, em 2007 foram colhidas 206,641 unidades de sangue, mais 5 por cento que no ano anterior (195,651 unidades). Para este ano, são estimadas 215 mil unidades.

Face ao limite dos recursos humanos para integrarem as brigadas que recolhem sangue nas unidades móveis, responsáveis por cerca de 80 por cento das recolhas, Gabriel Olim chamou a atenção para a necessidade das pessoas se dirigirem aos postos fixos. "Não podemos fazer mais, com o pessoal de que dispomos para as brigadas", referiu.

Gabriel Olim avançou ainda que 30 por cento das pessoas que se apresentam como voluntárias estão impossibilitadas de serem doadoras devido, por exemplo, a doenças ou toma de medicamentos.

in, Jornal Público

Apontamentos: ,

Publicado por 100STRESS às 18:05
Link do post | Comentar ou corrigir | Adicionar aos favoritos
|
Sexta-feira, 1 de Fevereiro de 2008

SIDA

O que é a Sida?
 A palavra SIDA é formada pelas primeiras letras duma situação clínica muito grave, designada por SINDROMA DE IMUNODEFICIÊNCIA ADQUIRIDA.

É uma doença provocado por VÍRUS, designados por HIV1 e HIV2 da família dos retrovírus.

Uma vez instalado esse vírus, para se desenvolver e reproduzir, invade e destrói certo tipo de células do sangue (os Linfócitos T 4), que são responsáveis pela defesa do nosso organismo contra Infecções e contra Tumores.

Esta doença, na fase final de evolução, provoca portanto uma diminuição total da capacidade do nosso organismo de resistir a infecções, mesmo as mais simples e mais correntes, tornado-as tão graves e tão difíceis de tratar, que acabam por conduzir à morte.

NOS DOENTES INFECTADOS O VIRUS ENCONTRA-SE NO SANGUE, E TAMBÉM APARECE NOS EXSUDADOS E CORRIMENTOS VAGINAIS NA MULHER E NO ESPERMA DO HOMEM.

No estado actual do conhecimento da doença, são estes líquidos orgânicos os mais infectantes na propagação da doença.

 

Como se transmite a Sida?
O vírus HIV para produzir doença no seu processo normal de desenvolvimento e proliferação, tem que ter acesso e entrar na corrente sanguínea do nosso corpo. Quando no exterior, fora dos condições convenientes à sua vida, o vírus morre rapidamente, em poucas horas. Nestas condições, e já se conhecendo quais os fluidos orgânicos que são infectantes, as formas de transmissão de SIDA são as seguintes:

1. SANGUE - produtos e seus derivados

Há anos atrás, quando ainda não se conhecia a doença, foi possível ter-se injectado sangue ou seus derivados, de indivíduos já portadores de SIDA em indivíduos sãos, transmitindo-lhes assim a doença.

Felizmente essa situação encontra-se hoje resolvida. Entre as análises que, obrigatoriamente, se têm que efectuar aos dadores de sangue, figura o despiste de portador de SIDA.

É uma forma de transmissão que actualmente, só por acidente raro, pode ser considerada.

2. INJECÇÕES NA VEIA

Mesmo que o produto a injectar seja estéril, se a agulha e seringa usadas na injecção estiverem infestadas, a doença também é transmitida. Nos estabelecimentos de saúde não existe este risco porque as agulhas e seringas estão esterilizadas, e usadas só uma vez. Mas entre os toxicodependentes, dos actos que descuidadamente praticam, a partilha de agulhas e seringas sem o mínimo cuidado, é um dos factores de transmissão mais importante. Associado à prática sexual múltipla e não protegida, transforma os toxicodependentes num dos grupos mais infestados e o maior disseminador da infecção na população geral.

3. RELAÇÕES SEXUAIS

As situações de SIDA inicialmente detectadas verificavam-se, como mais frequentes, entre os homossexuais masculinos. Este grupo, ainda hoje considerado de grande risco, por ter sido o mais agredido e o mais alertado, foi aquele que teve mais cedo que conhecer e encarar a doença, tomando as precauções de defesa convenientes a uma não contaminação. Em compensação, a transmissão por relações heterossexuais tem aumentado muito nestes últimos anos.

 

A DOENÇA NÃO FICA A PERDER !

O RISCO DE CONTAMINAÇÃO AUMENTA:

COM O NÚMERO DE PARCEIROS SEXUAIS
NO SENTIDO HOMEM INFECTADO MULHER SÃ

 

A existência de pequenas efracções, úlceras ou feridas na mucosa vaginal, agravam muito a possibilidade de infecção da mulher.

Mas também são essas pequenas lesões na mulher infectada, que provocam maior facilidade de contaminação no homem são.

Se considerarmos que existem situações de prática diária de vários actos de actividade sexual, com vários parceiros diferentes, entre indivíduos que até podem desconhecer a sua situação como doentes, compreende-se por que se considera actualmente a transmissão heterossexual como muito importante.

 

SIDA DEIXOU DE SER UMA DOENÇA DE GRUPOS FECHADOS, DOS DROGADOS, DOS HOMOSSEXUAIS, PARA SER UMA DOENÇA QUE PODE ATINGIR QUALQUER ELEMENTO DA POPULAÇÃO.

Há países onde começa a ser alarmante a incidência de SIDA nas camadas mais jovens ( 12, 13 anos), relacionada com o início de uma desregrada actividade sexual e a prática de consumo de drogas.

4. GRAVIDEZ

A MULHER INFECTADA PODE TRANSMITIR SIDA AOS SEUS FILHOS.

A transmissão mais frequente é feita durante o período de gestação, em que o sangue da mãe vai circular no feto, através da placenta. Menos provável, ou menos frequente, é a contaminação durante o parto pelo sangue perdido, ou durante a amamentação. Os recém nascidos têm uma capacidade de resistência muito fraca, ainda não desenvolvida, e durante os primeiros tempos de vida a resistência que têm foi-lhes transmitida pela mãe durante a gestação. Uma mãe infectada tem pouco para oferecer a seu filho. Pouco de bom, claro e porque aquilo que oferece está dependente do estado de evolução da sua doença, nem todos os filhos são atingidos da mesmo maneira.

Em termos gerais, pode considerar-se que 20% dos filhos de mães infestadas vão ter SIDA e morrer a curto prazo. Alguns antes dos dois anos, outros vão ter várias doenças e complicações, arrastando uma vida penosa e infeliz até morrer, alguns anos mais tarde.

EM TODOS OS PAÍSES NASCEM CRIANÇAS COM SIDA, FILHOS DE PAIS QUE, NÃO SABENDO QUE ERAM PORTADORES DA DOENÇA, CONDENARAM INEVITAVELMENTE SEUS FILHOS.

Como evolui a doença?
Certos autores referem que, numa percentagem de casos que pode ir até aos 30% em certos estatísticas, entre 10 e 15 dias depois da infecção, os doentes referem um período febril, curto, sem características especiais, como se fosse uma gripe.
Para outros, este acidente é tão pouco exuberante que não fica na memória dos doentes.

O QUE É IMPORTANTE É REFERIR QUE QUALQUER PESSOA PODE SER INFECTADA SEM DAR POR ISSO, SEM O SABER.

Após o acidente de infecção, a doença tem um longo período de evolução silenciosa sem provocar a mais pequena perturbação ou queixa. É o período durante o qual o vírus se instala, começa a invadir e destruir os linfócitos T 4 e a multiplicar-se. O nosso organismo põe em acção os seus mecanismos de defesa ( produzindo, inclusive, maior número de linfócitos T 4 tentando neutralizar a agressão. A duração do período de evolução silenciosa, muito variável (em média de 8 a 10 anos),está dependente de vários factores:

-da intensidade e gravidade da infecção
-do estado da capacidade de defesa do organismo
-da intercorrência de outras doenças igualmente agressivas, que reduzam a capacidade de defesa

-da possível sobre-infecção pelo vírus HIV, em contactos posteriores.

 

Durante este período diz-se que o indivíduo é PORTADOR por trazer consigo o VÍRUS; também se diz que é SEROPOSITIVO por serem positivas as análises que indicam a infecção.

O QUE É GRAVE NESTA DOENÇA, E DEVE SER DO CONHECIMENTO GERAL, É QUE DURANTE TODO ESSE PERÍODO EM QUE NÃO TEM DOENÇA CLÍNICA E MUITAS VEZES NÃO SABE SEQUER QUE É PORTADOR, ESSE INDÍVIDUO PODE INFECTAR TODOS AQUELES COM QUEM TIVER CONTACTOS SEXUAIS.

A grande traição desta doença estabelece-se assim em três planos:

-pode-se contrair, SEM TER CONHECIMENTO
-pode existir, SEM SER APERCEBIDA
-transmite-se, TRANSFORMANDO UM ACTO QUE DEVIA SER DE ALEGRIA E DE AMOR, NUM ACTO DE MORTE.

 

Ao fim de certo tempo, o período correspondente à evolução silenciosa, as defesas do organismo estão esgotadas.Começam então a aparecer as complicações próprias de um organismo sem capacidade de se defender, de reagir a infecções mesmo as mais correntes, as mais simples.

E porque muitas dessas infecções são produzidas por agentes que normalmente são incapazes de provocar doença, alguns até habitantes usuais do nosso organismo, dá-se-lhes o nome de INFECÇÕES OPORTUNISTAS.

Cada crise assim desencadeado torna mais fraca a capacidade imuno-defensora do organismo e mais frágil a resistência do doente a outras agressões, surgindo assim VÁRIOS TIPOS DE CANCRO, característicos desta situação.

Está então estabelecido o quadro clínico do " SINDROMA DE IMUNODEFICIÊNCIA ADQUIRIDA " corolário final de uma doença contraída anos antes, de evolução torpe, não sentida que, quando aparece como síndroma denunciado, já pouco há a fazer.

Pela repetição, ou manutenção, das crises ou das infecções, o doente morre em pouco tempo.

 

Qual o tratamento?
NO ESTADO ACTUAL DO CONHECIMENTO CIENTÍFICO NÃO HÁ UM VERDADEIRO E EFICAZ TRATAMENTO PARA A DOENÇA, QUE IRRADIQUE DEFINITIVAMENTE O VÍRUS DO ORGANISMO

De resto, mesmo para as outras doenças provocados por vírus não existe tratamento médico, no sentido de tomar remédios para " matar , o agente da doença, como acontece para as infecções produzidas por bactérias.

Nas doenças por vírus, a atitude médica consiste em criar no organismo defesa específica contra essa possível agressão, sob a forma de administração de vacinas. É uma atitude preventiva de modo a que, no caso do infecção se dar, a doença não surja, ou seja tão fraca, que o organismo não venha a sofrer por isso e a possa debelar com facilidade.

AINDA NÃO FOI DESCOBERTA A VACINA DE PREVENÇÃO PARA A SIDA

Existe, no entanto, um grupo de medicamentos que podem diminuir a multiplicação dos vírus.

Não destrói todos os Vírus, nem cura a doença, mas reduzindo o número de elementos agressivos, pode retardar a sua evolução.

Não tanto na fase final, com o SINDROMA DE IMUNODEFICIÊNCIA declarado, bem definido, mas na situação anterior, ajudando o organismo a manter ainda certo grau de defesa e imuno-resistência.

São medicamentos que podem prolongar o tempo de vida, contendo a infecção numa fase anterior ao cataclismo final.

MAS PARA QUE POSSA RESULTAR ESSE TRATAMENTO, TORNA-SE NECESSÁRIO QUE OS INDIVIDUOS SEROPOSITIVOS, OS PORTADORES, SEJAM DESPISTADOS PRECOCEMENTE E SEGUIDOS PERIODICAMENTE PARA APLICAÇÃO DO TRATAMENTO NA ALTURA DEVIDA E CONVENIENTE.

E isso depende, exclusivamente, de interesse e da vontade de cada pessoa em ter conhecimento da sua situação perante a possível infecção pelos vírus HIV.

 

Qual a solução. Que fazer? Não havendo processo médico curativo, ou de prevenção, para a doença, COMPETE À POPULAÇÃO ASSUMIR A RESPONSABILIDADE PESSOAL DE PREVENIR-SE CONTRA ELA.

É esse o grande interesse desta CAMPANHA - dar conhecimentos de aspectos particulares desta doença, divulgá-la, acabar com o secretismo que a tem envolvido, torná-la objecto de preocupação e de decisão consciente de todos.

SIDA é uma doença tão traiçoeira, tão grave, de resultados tão nefastos, e já tão expandida, que o facto de estar ligada a grupos de comportamento especial, ou por estar quase exclusivamente ligada ao acto sexual, não deve impedir que todos a encarem de frente, a pesquisem, a considerem com a preocupação que merece.

COMPETE A CADA UM ASSUMIR A SUA QUOTA PARTE NA RESPONSABILIDADE DE COMBATER A SIDA, tomando as precauções necessárias à sua contenção. O ideal seria tomar as precauções suficientes para NÃO CONTRAIR A DOENÇA. São várias e de vários tipos.

Tendo sido já contraído, é de grande interesse social que se tomem precauções para que NÃO SEJA FACILITADA A SUA TRANSMISSÃO; e de interesse pessoal também, pois UMA REINFECÇÃO PODE ACELERAR O PROCESSO, LEVANDO A UM ENCURTAMENTO DO TEMPO DE VIDA DO INDIVIDUO INFECTADO.

A SIDA há muito que ultrapassou as barreiras que envolviam os homossexuais e os drogados. AGORA É UMA DOENÇA QUE PODE SER DE QUALQUER PESSOA. Já não há grupos de risco. O que HÁ É COMPORTAMENTOS DE RISCO, que devem ser evitados, ou conscientemente assumidos com o máximo de precaução.

 

PROTEJA-SE A Si PRÓPRIO, PROTEJA OS OUTROS PELO GRANDE RESPEITO QUE NOS MERECE O DIREITO À VIDA, À SAÚDE, À TRANQUILIDADE, CONSULTE A SUA CONSCIÊNCIA. DEPOIS O SEU MÉDICO ASSISTENTE.

Símbolo da luta contra a SIDA

www.aidsportugal.com


Publicado por 100STRESS às 09:44
Link do post | Comentar ou corrigir | Adicionar aos favoritos
|

Herpes

A Herpes é uma doença viral recorrente, geralmente benigna, causada pelos vírus Herpes simplex 1 e 2, que afecta principalmente a mucosa da boca ou região genital, mas pode causar graves complicações neurológicas.

 

Vírus Herpes Simplex (HSV) 1 e 2

  • Grupo: Grupo I (dsDNA)
  • Familia: Herpesviridae
  • Subfamília:Alphaherpesvirinae
  • Género: Simplexvirus
  • Espécie: Herpes simplex virus 1 (HSV-1)
  • Espécie: Herpes simplex virus 2 (HSV-2)

HSV são dois vírus da família dos Herpesvirus, com genoma de DNA bicatenar (dupla hélice) que se multiplicam no núcleo da célula-hóspede, produzindo cerca de 90 proteínas víricas em grandes quantidades. Têm nucleocapsídeo de simetria icosaédrica e envelope bilipídico. Têm a propriedade de infectar alguns tipos de células de forma lítica (destrutiva) e outras de forma latente (hibernante). Os HSV1 e 2 são líticos nas células epiteliais e nos fibroblastos, e latentes nos neurónios, donde são reactivados em alturas de fragilidade do indivíduo, como stress, febre, irradiação solar excessiva, trauma ou terapia com glucocorticóides (corticosteróides).

A produção de proteínas víricas pelas células tomadas pelo vírus têm três fases: na primeira produzem-se as proteínas envolvidas na replicação do seu genoma e essa replicação ocorre. Na segunda há produção de proteínas reguladoras víricas que regulam o metabolismo da célula para maximizar o número de virions produzíveis; e na terceira há produção das proteínas do nucleocapsídeo e construção das novas unidades virais, após o qual a célula é destruída pela grande quantidade de vírus que é fabricada.

Os HSV1 e HSV2 são muito semelhantes, mas apresentam algumas diferenças significativas. O HSV1 tem características que o levam a ser particularmente infeccioso e virulento para as células da mucosa oral. O HSV2 tem características de maior virulência e infecciosidade para a mucosa genital. No entanto, o HSV1 também pode causar herpes genital e o HSV2 herpes bucal.

 

Epidemiologia

São muito frequentes. Em alguns países, especialmente pobres, 90% das pessoas têm anticorpos contra o HS1, ainda que possam não ter tido sintomas. Um quinto dos adultos terá herpes genital, incluindo a Europa e os EUA.

O herpes oral, particularmente se causado por HSV1, é uma doença primariamente da infância, transmitida pelo contacto directo e pela saliva. O herpes genital é uma doença de adultos, uma vez que é transmitido pela via sexual.

Os médicos e outros profissionais de saúde estão em risco de contrair infecção dolorosa dos dedos devido ao seu contacto com os doentes.

 

Progressão e sintomas

Após infecção da mucosa, o vírus multiplica-se produzindo os característicos exantemas (manchas vermelhas inflamatórias) e vesículas (bolhas) dolorosas (causadas talvez mais pela resposta destrutiva necessária do sistema imunitário à invasão). As vesículas contêm líquido muito rico em virions e a sua ruptura junto à mucosa de outro indivíduo é uma forma de transmissão (contudo também existe vírus nas secreções vaginais e do pénis ou na saliva). Elas desaparecem e reaparecem sem deixar quaisquer marcas ou cicatrizes. É possivel que ambos os vírus e ambas as formas coexistam num só indivíduo.

Os episódios agudos secundários são sempre de menor intensidade que o inicial (devido aos linfócitos memória), contudo a doença permanece para toda a vida, ainda que os episódios se tornem menos freqüentes. Muitas infecções e recorrências são assintomáticas.

 

Herpes oral ou labial

 

A infecção por herpes simplex 1 normalmente é oral e produz gengivomastite (inflamação das gengivas). O vírus invade os terminais dos axónios dos nervos sensitivos, infectando latentemente os seus corpos celulares no gânglio nervoso trigeminal (junto ao cérebro). Quando o sistema imunitário elimina o vírus das mucosas, não consegue detectar o vírus quiscente dos neurónios, que volta a ativar-se em períodos de debilidade, como stress, trauma, imunosupressão ou outras infecções, migrando pelo caminho inverso para a mucosa, e dando origem a novo episódio de herpes oral com exantemas e vesículas dolorosas.

Complicações raras são a queratoconjunctivite do olho que pode levar à cegueira e à encefalite. Esta cursa com multiplicação do vírus no cérebro, especialmente nos lobos temporais com convulsões, anormalidades neurológicas e psiquiátricas. É altamente letal, e 70% dos casos resultam em morte, apenas 20% dos sobreviventes não apresentam sequelas neurológicas. Raramente é causada pelo HSV2.

 

Herpes Genital

 

A infecção com o herpes simplex 2 é semelhante (10% dos casos são por HSV1). Há infecção da mucosa genital, no homem na glande do pénis, na mulher na vulva ou vagina, com exantemas e sensibilidade dolorosa. Também pode ocorrer no ânus. Outros sintomas são febre, mal-estar, dores musculares e de cabeça, dores ao urinar e corrimento vaginal ou da uretra no pénis. A maioria das infecções no entanto é assimptomática.

Simultaneamente ocorre a invasão dos neurónios sensitivos com migração no interior dos axónios para os corpos celulares nos gânglios nervosos lambosacrais. Aí ficam em estado de latência sem se reproduzir, indetectáveis enquanto os virions activos da mucosa são destruídos pela resposta citotóxica imunitária. Após período de debilidade voltam a migrar pelos axónios para a mucosa e estabelecem novo episódio doloroso típico. As recorrências podem ser de todos os meses a raras. O vírus é transmitido mesmo na ausência de sintomas.

Os episódios de recorrência são menos intensos e frequentemente antes da erupção das vesículas há irritação (comichão) da mucosa.

As complicações são mais raras e mais moderadas quando ocorrem somente na forma labial. Um tipo de complicação específico do HSV2 é a meningite, que é pouco perigosa, sendo a encefalite muito rara. Contudo se a mãe infecta o recém-nascido via ascensão pelo útero na gravidez ou aquando do nascimento a infecção é especialmente virulenta face ao sistema imunitário ainda pouco eficaz do bébé. A mortalidade e probabilidade de deficiências mentais são significativas, apesar de ocorrer numa minoria dos casos.

 

Outras Manifestações

  • A faringite herpética causa em jovens adultos dores de garganta.
  • A infecção dos dedos em profissionais de saúde é dolorosa e adquirida pelo manuseio sem luvas das áreas infectadas de doentes.
  • A Herpes do Gladiador é uma infecção disseminada na pele (adquirida por vezes na luta corpo a corpo daí o nome).

Diagnóstico e tratamento

O vírus é recolhido de pústulas e cultivado em meios com células vivas de animais. A observação pelo microscópio destas culturas revela inclusões víricas típicas nas células. Na encefalite pode ser necessário obter amostras por biópsia.

Não há vacina nem tratamento definitivo, apesar de alguns fármacos especialmente acicloguanosinas como o aciclovir poderem reduzir os sintomas e o perigo de complicações como encefalite.

É possivel reduzir a transmissão evitando o contacto directo com outros ou com objectos usados por outros (copos, bocais de instrumentos de sopro) quando a herpes labial está activa, e abstinência sexual quando a região afectada pela herpes genital não está com aparência saudável normal. Mesmo assim o risco de transmissão é reduzido mas não é inexistente.

 

In Wikipédia


Publicado por 100STRESS às 09:41
Link do post | Comentar ou corrigir | Adicionar aos favoritos
|

Declinamos toda e qualquer responsabilidade legal advinda da utilização das informações do Blog Estudante de Enfermagem (http://enfermando.blogs.sapo.pt), o qual tem por objectivo a informação, divulgação e educação acerca de variados temas médicos, e cujos artigos expressam tão somente o ponto de vista e aprendizagem dos seus autores. Tal informação não deverá, de forma alguma, ser utilizada como substituto do diagnóstico médico ou tratamento de qualquer doença sem antes consultar um especialista. Who links to me?

.Mais sobre mim

.Pesquisar na Matéria

 

.Novembro 2012

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3

4
5
6
7
8
9
10

11
12
13
14
15
17

18
19
20
21
22
23
24

25
26
27
28
29
30


__________________________ DIVULGUE-ME


__________________________

QUANTO VALE O MEU BLOG?


O meu blog vale $1,129.08.
Quanto vale o seu?

__________________________ __________________________

__________________________

ANATOMIA 3D ON-LINE
Visible Body 3D Human Anatomy

.Matéria Recente

. 10 cuidados que deve ter ...

. Infeção Urinária

. 10 dicas úteis para contr...

. Alguém perguntou: o que é...

. Perder Peso Rapidamente c...

. Transplante renal

. Diabetes Gestacional (con...

. IMPOTÊNCIA... tratar com ...

. IMPOTÊNCIA... um dos méto...

. Pastilhas de nicotina

. Enxaqueca

. Diabetes Gestacional

. Manual do H1N1

. A saúde do idoso

. Pílula do dia seguinte

. Caminhar- viver saudável

. Lombalgia

. Relatório do Observatório...

. Café na gravidez

. Alzheimer

. Liga Portuguesa Contra o ...

. Ler com pouca luz faz mal...

. Linha Saúde 24

. O cérebro

. ...

. Tabagismo

. Consumo excessivo e prolo...

. Sexualidade/Mulher

. Taquicardia

. Alimentação saudável. Os ...

. Rir é o melhor remédio

. Preservativo - Sexualidad...

. Saúde em frente ao comput...

. Sra. Ministra:

. Continuação pela nossa ca...

. Pela nossa causa

. GREVE!!!

. Substâncias nocivas...

. ReWalk na luta contra a p...

. Saúde na piscina e na pra...

. Regeneração

. Verão - Saúde - Estéctica

. Desmaio - Como proceder

. Detecção da Gravidez

. Medicamento Genérico

. Menopausa

. Dar Sangue

. As reservas de sangue dos...

. SIDA

. Herpes

.Matéria Arquivada

. Novembro 2012

. Outubro 2012

. Julho 2011

. Janeiro 2011

. Dezembro 2010

. Setembro 2010

. Novembro 2009

. Julho 2009

. Abril 2009

. Novembro 2008

. Outubro 2008

. Setembro 2008

. Julho 2008

. Junho 2008

. Maio 2008

. Fevereiro 2008

. Janeiro 2008

. Dezembro 2007

. Novembro 2007

.Apontamentos

. acidez estomacal(1)

. afecções da mama(1)

. álcool(1)

. alcoolismo(1)

. alimentação(1)

. alimentos ideais(1)

. alzheimer(2)

. ana jorge(1)

. anatomia(1)

. asma(1)

. autópsia(1)

. azia(1)

. bastonária ordem dos enfermeiros(1)

. benigna(1)

. bile(1)

. bílis(1)

. café(1)

. caminhar(1)

. cancro(2)

. cancro do colo do útero(1)

. cardiologia(1)

. células cancerosas(1)

. cérebro(1)

. cialis(1)

. ciclo(1)

. cientistas(1)

. cigarro(1)

. cirurgia(1)

. colesterol(2)

. colo do útero(1)

. composição das vacinas(1)

. contracepção(1)

. coração(2)

. correia de campos(1)

. córtex cerebral(1)

. cuidados(1)

. cuidados com a pele(1)

. cuidados de saúde(1)

. dar sangue(2)

. diabetes(4)

. diabetes gestacional(3)

. dieta(2)

. enfermagem(12)

. enfermeiros(4)

. fígado(2)

. gravidez(5)

. greve(4)

. hdl(2)

. impotência(2)

. impotência sexual(2)

. infeção urinária(2)

. insulina(3)

. medicamentos(2)

. pílula(2)

. sangue(2)

. saúde(10)

. sexualidade(4)

. sida(3)

. síndrome imunodeficiência adquirida(2)

. vacina(4)

. todas as tags

__________________________

Escolas de Enfermagem:
Links Úteis:
Aceda ao seu Hospital:
___________________________ ___________________________

Add to Technorati Favorites

Blogarama - The Blog Directory

Estou no Blog.com.pt


”Logo

blogaqui?

BlogBlogs

SEO Link Directory ___________________________

.Subscrever feeds